Sobre minha profissão.

image

Fonte: http://weheartit.com/entry/56560603/via/AngiDas

Vou-lhe contar o que sou. Pois bem, sou graduada em Relações Internacionais. Você provalvelmente dirá “Que Chique!” como (quase ou a maioria) das pessoas exclamam. Sinto-lhe dizer, mas minha carreira não é tão glamurosa assim. Aliás, não é nem um pouco. É bem verdade que o vasto repertório idiomático se faz presente entre os graduados e graduandos de Relações Internacionais e portanto, a ideia de “cidadã do mundo” surge na imaginação das pessoas como se fosse uma pessoa extremamente viajada igual a uma aeromoça. Triste dizer, porém, eu viajei para poucos lugares no que chamamos de mundo e tampouco sou uma exímia poliglota fluente. O que me deixa em desvantagem em comparação a outros colegas de profissão ou não. Além disso, mesmo que vc diga o quão “chique” é a profissão de internacionalista, eu tenho minhas dúvidas se vc realmente sabe ou tenha alguma noção sobre o que eu trabalho. Tudo bem não saber. Nem precisa ter vergonha. Muitas empresas também não sabem. Tanto que não contratam ou nos confundem com analistas de comércio exterior, nada contra, embora um tanto semelhantes também somos um tanto diferentes. Não trabalho com banco, se não fosse tão ruim em matemática até trabalharia num. Se trabalhamos com banco?! Podemos dependendo do nosso grau de necessidade econômica. Seria ótimo viajar pelo mundo e não ter preocupações nenhuma, mas até “os viajados” tem seus problemas. Como confortar aqueles que precisam? Como ajudar em casos aparentemente impossíveis de resolver? Tantas questões… E antes dessas para resolver é preciso fazer quatro provas e passar trocentos mil candidatos para ser um diplomata que apesar de viajar bastante e se assemelhar ao “chique” da profissão, resolve cada pepino… Digo isso, porque eu estou na fase concurseira e estudo pra isso. Honestamente, eu agora não sei porque eu quero ser diplomata, afinal decisões não é comigo. E negociações por mais que se ensine em diversas escolas, não há nada como o dom. Negociação é um dom divino. E eu não o possuo, infelizmente.  Já que toquei no assunto estudo em linhas anteriores, o que se percebe é que se entrou na vida acadêmica é impossível sair totalmente dela. Vc estudará pelo resto de sua vida. E acredite, esta é uma profissão mais acadêmica do que prática. E por isso ao sair da facul é mais provável que se perca ao invés de se encontrar. A não ser que tenha um lado b. E eu não tenho. Resumindo, não há profissão chique, a não ser que ganhe na loto e seja dondoca. Porque até as modelos bem pagas têm seus pepinos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s